domingo, 14 de dezembro de 2008

"Marcas da Vergonha"


Por Serena Flor


Hoje amanheci calada...
Alma sofrida, calejada
Vergonha do espelho...
Humilhada.

As marcas que ficam
não somem jamais
São marcas medonhas
Deixadas por um animal.

Me sinto fraca, sem saída,
Quero fugir, mas tenho medo
Sumir pelo mundo afora
Sem rumo...em segredo.

Se fico talvez eu morra,
Se vou levo comigo a esperança,
Se fico talvez eu mate
Aquele que todo dia me espanca!


A Justiça brasileira sempre tratou a violência doméstica
como uma questão de família.
"Até hoje, o fato de um homem quebrar a mandíbula de sua mulher
não é visto como crime,
mas como um fato da vida privada e familiar".
"Violência é crime e é responsabilidade do Estado".
Mais de 90% dos casos de violência contra a mulher são arquivados

2 comentários:

Serena Flor disse...

Que carinho gostoso de receber meu querido!
Fiquei emocionada de ver meu singelo poema neste blog tão lindo!
Realmente a violência contra a mulher é um ato covarde e irracional.
Obrigada de coração meu amigo.

Blogueiro disse...

Muito Bom.

Excelente texto.

:)