domingo, 15 de novembro de 2009

Juiz proíbe participação de crianças e adolescentes em Parada Gay

Por decisão do juiz Aílton Augusto dos Santos, da Vara da Infância, da Juventude e do Idoso de Duque de Caxias, crianças e adolescentes estão terminantemente proibidos de participar da parada Gay promovida pelo grupo Gays, Lésbicas, Bisexuais, Transexuais e Simpatizantes (GLBTS) no município de Duque de Caxias. A passeata está marcada para este domingo, 15, a partir das 13h, na Avenida Brigadeiro Lima e Silva, no Bairro 25 de Agosto, na Baixada Fluminense.

No documento em que comunica a proibição, o magistrado ressalta que a medida tem como objetivo evitar que crianças e adolescentes presenciem cenas inadequadas para sua faixa etária. O descumprimento da decisão implicará “em sanções administrativas e penais aos promotores do evento”, de acordo com decisão do juiz Augusto dos Santos.

Na sentença, o juiz argumenta que “a manifestação pública de opção sexual é ato próprio de comportamento adulto, não sendo recomendável para crianças e adolescentes, seres ainda em fase de desenvolvimento físico, psicológico e social e, consequentemente, ainda não amadurecido para uma decisão, com relevante repercussão na vida familiar, comunitária e social”. A decisão do juiz foi proferida no dia 11 de novembro, com base no Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA).

A realização da Parada Gay de Caxias foi autorizada depois muita polêmica e desentendimentos entre o prefeito de Duque de Caxias, na Baixada Fluminenese, José Camilo Zito, e representantes de gays, lésbicas, travestis e transexuais, que acabaram por conseguir autorização para o evento, que está na quarta edição no município.

do Atarde On line

Nota do Blog: Até que ponto chega o preconceito do ser humano. O Excelentissimo Dr. Ailton Augusto, deveria se preocupar com outras coisas, muito mais importantes. Deveria proibir,por exemplo, cenas absurdas que vemos nas TVS todos os dias. Não só em horário nobre, a tal da "Malhação" que o diga.

Não é assistindo um movimento como uma parada gay, que uma criança ou adolescente vai "decidir" pela sua opção sexual. É triste, uma atitude desta de um magistrado.

3 comentários:

André disse...

bem kra passando para parabenizar seu blog e dizer que estou seguindo Espero que siga o meu e participe la da enquete do que acha do blog valew

Fernanda disse...

Olá Ricky,

É um tema, sem dúvida muito polêmico.
Acho desnecessário a proibição.
Abraços, Fernanda pautajornalistica.blogspot.com

ROBERTO BRANDÃO disse...

ACHEI LEGAL, A PROÍBIÇÃO É IMPORTANTE QUE ALGUEM SE PREOCUPE COM AS CRIANÇAS E ADOLECENTES, NA FASE DE FORMAÇÃO DE PERSSONALIDADE ;EU SÓ PEÇO Á DEUS OLHAIS NOSSAS CRIANÇAS, MEU SENHOR.