terça-feira, 25 de novembro de 2008

Juiz suspende indiciamento de pessoas responsabilizadas pelo acidente da TAM



O juiz Helio Narvaez, da 1ª Vara Criminal do Fórum do Jabaquara, em São Paulo, suspendeu ontem, 24/11, o indiciamento das dez pessoas que haviam sido responsabilizadas pelo delegado Antônio Carlos Menezes Barbosa, no último dia 19/11, pelo acidente com o avião da TAM, ocorrido em julho do ano passado.

O motivo da suspensão do indiciamento não foi informado pela assessoria do TJ/SP.
Menezes Barbosa, titular do 15º Distrito Policial da cidade de SP, e responsável pelo inquérito, anunciou no dia 19/11 que indiciaria dez pessoas pelo crime de atentado à segurança de transporte aéreo.

São elas: os funcionários da Infraero Agnaldo Molina Esteves e Esdras Ramos; a ex-diretora da Anac Denise Abreu; o ex-presidente da Infraero, José Carlos Pereira; o ex-presidente da Anac, Milton Zuanazzi; os superintendentes da Anac Luiz Kazumi Miyada, Jorge Luiz Brito Velozo e Marcos Tarcisio Marques dos Santos; o diretor de segurança de vôo da TAM Marco Aurélio dos Santos de Miranda e Castro; e o ex-gerente de engenharia de operações da TAM Abdel Salam Abdel El Salam Rishk.

O pedido de suspensão do indiciamento de Denise Abreu foi feito pelo advogado Roberto Podval, de Podval, Rizzo, Mandel, Antun, Indalecio e Advogados.

Já o pedido de suspensão do indiciamento de Marco Aurélio dos Santos de Miranda e Castro foi formulado pelo advogado Newton de Souza Pavan, da Advocacia Mariz de Oliveira.

No acidente, morreram 199 pessoas. Na aterrissagem, o Airbus A-320 da TAM atravessou a pista do Aeroporto de Congonhas em alta velocidade chocando-se, já fora do aeroporto, contra o prédio da TAM Express, empresa de entrega de encomendas.

Leia a decisão na Íntegra no Migalhas



.

Um comentário:

Rodrigo Piva disse...

Também não ficarei surpreso se for arquivado. Convivemos com injustiças todos os dias, por isso sempre esperamos o pior, é incrível...

Abraços